Início Testosterona Entenda como funciona a Reposição Hormonal Feminina

Entenda como funciona a Reposição Hormonal Feminina

A reposição hormonal feminina revolucionou o modo de enxergar a sexualidade da mulher e principalmente aumentou a qualidade de vida. Você sabe porquê?

Tema de discussão, alvo de preconceitos, associações sem evidência científica, movimentaram a sociedade, principalmente as mulheres, quando se ouvia falar na reposição de hormônios.

Com certeza, você já deve ter ouvido, que restabelecer a taxa hormonal na mulher tem muitos efeitos colaterais, como aumento do peso, provoca câncer, etc.

Em relação a isso, é obrigação da equipe aqui do site, explicar, que de acordo com vários médicos, inclusive poderá acompanhar os depoimentos nos links abaixo, não existe nenhuma prova científica que legitime essas suposições.

A Terapia Hormonal (TH) começou a ser difundida na década de 60, como proposta para controlar o déficit de qualidade de vida, decorrente do período natural de transição da mulher até a menopausa (climatério).

Por muitos anos, foi aceita como forma de tratamento, no entanto em 2002, a pesquisa (Women´s Health Initiative) divulgada no Journal of the American Medical Association, iniciou um grande movimento de discussão sobre os efeitos (eventos negativos) que a reposição hormonal feminina poderia causar no organismo da mulher, entre eles a chance de câncer, derrames e infarto.

Aqui no Brasil, a Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) e a Associação Brasileira de Climatério (Sobrac) se pronunciaram sobre o assunto.

Explicando como a pesquisa foi realizada e justificando que ela não serve como prova científica (pois o grupo estudado era de mulheres que já estavam a muito tempo no período da menopausa).

Controvérsias explicadas, a certeza de aderir ao tratamento está mais para:

  • Os benefícios para quem pode participar da terapia;
  • E a não pratica para o grupo restritivo.

No mais, não há motivo para pânico ou insegurança quando o médico cogitar a repor os hormônios.

 

Aspectos gerais da Reposição Hormonal Feminina

 

Feito sob orientação médica, levando em conta fatores genéticos e o histórico de saúde, o tratamento pode trazer benefícios imensuráveis para o funcionamento do organismo feminino.

A diminuição natural da produção de progesterona e estrogênio (principais hormônios femininos) bem como da testosterona, pode trazer sintomas indesejáveis às mulheres de meia idade.

Em maior ou menor grau, toda mulher sente os efeitos dessa diminuição, e em muitos casos, os sintomas afetam muito a qualidade de vida.

A Reposição Hormonal Feminina atua como atenuante desses sintomas, já que repõe os hormônios necessários para o bom funcionamento corporal e mental, ajudando a prevenir doenças típicas dessa fase da vida feminina.

 

Quando deve ser feira a Reposição Hormonal Feminina?

 

O período ideal para o início da reposição hormonal feminina, segundo os especialistas, é quando os sintomas do climatério se manifestam.

O climatério é o período de transição entre o ciclo fértil e o não-fértil da mulher, e ele ocorre de forma variável, em geral, a partir dos 40 anos de idade.

Dentre os principais sintomas do climatério estão:

  • Alteração do ciclo menstrual, com irregularidade ou escassez na menstruação e possível presença de hemorragias
  • Perda de lubrificação vaginal
  • Aumento repentino de peso
  • Irritabilidade acentuada
  • Diminuição da libido
  • Ressecamento da pele
  • Surgimento de distúrbios do sono
  • Ondas de calor injustificado
  • Dores musculares e nas articulações

O período de duração do climatério também é variável, podendo se estender por anos, até a menopausa (última menstruação).

 

Como é feita a Reposição Hormonal Feminina

 

São duas as principais formas de fazer a reposição hormonal feminina: Por via oral ou, com a aplicação transdérmica, com o uso de gel, adesivos ou creme.

A segunda forma é mais indicada pois evita o surgimento de problemas hepáticos, mais comuns quando a reposição hormonal feminina é feita via oral.

No entanto, a proposta de reposição natural através de suplementos é muito válida, pois é sutil e gradual, sem causar nenhum desconforto as mulheres.

Em relação a forma de reposição química, a dosagem usada no tratamento é baixa e deve ser indicada por um endocrinologista, profissional responsável pelo tratamento.

Dentre os hormônios passíveis de reposição estão:

  • Testosterona – responsável pelo desejo sexual, pelo bom funcionamento cardíaco e pelo controle da gordura corporal
  • Progesterona e estrogênio – regulam o tecido gorduroso, atuam no funcionamento do coração e regulam a densidade óssea
  • Melatonina – atua no sistema imunológico, nos receptores neurais e interferem diretamente na qualidade do sono.
  • DHEA – hormônio responsável pela regulação dos níveis de estresse
  • T3 e T4 – agem sobre o metabolismo e os níveis de energia do organismo, além de atuar na pele, cabelos, unhas e no trato intestinal
  • Pregnenolona – atua sobre os neurônios e na capacidade de memorização.

 

Quem pode fazer a Reposição Hormonal Feminina

 

Segundo os especialistas da Associação Brasileira do Climatério, órgão responsável por informar e conscientizar as mulheres interessadas no procedimento, alguns quadros são claramente contraindicados, dentre eles doenças cardíacas e hepáticas crônicas e/ou severas, casos de câncer de mama na família e sangramentos vaginais anormais.

Já a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia atestam que:

“Excetuados os casos impeditivos já citados, todos os demais estão sujeitos à análise individual”

Além disso, são passíveis de realizar a reposição hormonal feminina, desde que devidamente acompanhados por um médico responsável.

 

Dúvidas comuns sobre a Reposição Hormonal Feminina

 

Dentre as mulheres interessadas no tratamento de reposição hormonal existem algumas dúvidas recorrentes.

A principal delas diz respeito ao ganho de peso. Segundo os especialistas, não há uma relação direta entre o tratamento e o ganho de peso, como já mencionados acima.

O que ocorre é que com a diminuição do nível de hormônio, a mulher naturalmente tem suas formas modificadas, perdendo a silhueta e ganhando mais gordura na região abdominal.

Esse acúmulo pode trazer aumento no risco de infarto, e a reposição atua na melhoria geral do quadro.

Leia também:

Como Aumentar a Testosterona Naturalmente

Saiba a importância do hormônio Testosterona para Mulher

Saiba quais as causas e como tratar a Libido em Baixa

É muito comum também que a aparência e o estado de humor sejam preocupações de quem se submete ao tratamento de reposição hormonal feminina.

Em ambos os casos há melhoria sensível do aspecto da pele, dos cabelos e das unhas. As variações de humor repentinas, tão comuns no climatério, também são atenuadas com a reposição.

 

Muito mais qualidade de vida e saúde após a Reposição Hormonal Feminina

 

Embora os benefícios da reposição hormonal feminina se estendam à estética e ao humor, os especialistas alertam que esses não devem ser os motivos da reposição, e sim a busca pela manutenção da saúde geral da mulher nessa fase da vida.

O aspecto social também tem feito cada vez mais mulheres buscarem a reposição hormonal feminina.

Pois cada vez mais é comum a maternidade tardia, a busca pelo desempenho sexual, no climatério e na menopausa.

Com o adequado acompanhamento médico e com a análise caso a caso é possível determinar a época certa e a melhor forma de fazer a reposição hormonal feminina, e assim, assegurar mais saúde e maior qualidade de vida.

Mulheres!!! Não dispensem o que a reposição hormonal feminina proporciona!

 

...VEJA TAMBÉM...



SEM COMENTÁRIOS

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Sair da versão mobile