05 nov

Entenda como funciona a Reposição Hormonal Feminina

Entenda como funciona a Reposição Hormonal Feminina

A reposição hormonal feminina revolucionou o modo de enxergar a sexualidade da mulher e principalmente aumentou a qualidade de vida. Você sabe porquê?

Tema de discussão, alvo de preconceitos, associações sem evidência científica, movimentaram a sociedade, principalmente as mulheres, quando se ouvia falar na reposição de hormônios.

Com certeza, você já deve ter ouvido, que restabelecer a taxa hormonal na mulher tem muitos efeitos colaterais, como aumento do peso, provoca câncer, etc.

Em relação a isso, é obrigação da equipe aqui do site, explicar, que de acordo com vários médicos, inclusive poderá acompanhar os depoimentos nos links abaixo, não existe nenhuma prova científica que legitime essas suposições.

A Terapia Hormonal (TH) começou a ser difundida na década de 60, como proposta para controlar o déficit de qualidade de vida, decorrente do período natural de transição da mulher até a menopausa (climatério).

Por muitos anos, foi aceita como forma de tratamento, no entanto em 2002, a pesquisa (Women´s Health Initiative) divulgada no Journal of the American Medical Association, iniciou um grande movimento de discussão sobre os efeitos (eventos negativos) que a reposição hormonal feminina poderia causar no organismo da mulher, entre eles a chance de câncer, derrames e infarto.

Aqui no Brasil, a Federação Brasileira das Sociedades de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) e a Associação Brasileira de Climatério (Sobrac) se pronunciaram sobre o assunto.

Explicando como a pesquisa foi realizada e justificando que ela não serve como prova científica (pois o grupo estudado era de mulheres que já estavam a muito tempo no período da menopausa).

Controvérsias explicadas, a certeza de aderir ao tratamento está mais para:

  • Os benefícios para quem pode participar da terapia;
  • E a não pratica para o grupo restritivo.

No mais, não há motivo para pânico ou insegurança quando o médico cogitar a repor os hormônios.

 

Aspectos gerais da Reposição Hormonal Feminina

 

Feito sob orientação médica, levando em conta fatores genéticos e o histórico de saúde, o tratamento pode trazer benefícios imensuráveis para o funcionamento do organismo feminino.

A diminuição natural da produção de progesterona e estrogênio (principais hormônios femininos) bem como da testosterona, pode trazer sintomas indesejáveis às mulheres de meia idade.

Reposição Hormonal FemininaEm maior ou menor grau, toda mulher sente os efeitos dessa diminuição, e em muitos casos, os sintomas afetam muito a qualidade de vida.

A Reposição Hormonal Feminina atua como atenuante desses sintomas, já que repõe os hormônios necessários para o bom funcionamento corporal e mental, ajudando a prevenir doenças típicas dessa fase da vida feminina.

 

Quando deve ser feira a Reposição Hormonal Feminina?

 

O período ideal para o início da reposição hormonal feminina, segundo os especialistas, é quando os sintomas do climatério se manifestam.

O climatério é o período de transição entre o ciclo fértil e o não-fértil da mulher, e ele ocorre de forma variável, em geral, a partir dos 40 anos de idade.

Dentre os principais sintomas do climatério estão:

  • Alteração do ciclo menstrual, com irregularidade ou escassez na menstruação e possível presença de hemorragias
  • Perda de lubrificação vaginal
  • Aumento repentino de peso
  • Irritabilidade acentuada
  • Diminuição da libido
  • Ressecamento da pele
  • Surgimento de distúrbios do sono
  • Ondas de calor injustificado
  • Dores musculares e nas articulações

O período de duração do climatério também é variável, podendo se estender por anos, até a menopausa (última menstruação).

 

Como é feita a Reposição Hormonal Feminina

 

São duas as principais formas de fazer a reposição hormonal feminina: Por via oral ou, com a aplicação transdérmica, com o uso de gel, adesivos ou creme.

A segunda forma é mais indicada pois evita o surgimento de problemas hepáticos, mais comuns quando a reposição hormonal feminina é feita via oral.

No entanto, a proposta de reposição natural através de suplementos é muito válida, pois é sutil e gradual, sem causar nenhum desconforto as mulheres.

Nossa sugestão de suplemento é o Testodrol Cycle, vale experimentar.

Em relação a forma de reposição química, a dosagem usada no tratamento é baixa e deve ser indicada por um endocrinologista, profissional responsável pelo tratamento.

Dentre os hormônios passíveis de reposição estão:

  • Testosterona – responsável pelo desejo sexual, pelo bom funcionamento cardíaco e pelo controle da gordura corporal
  • Progesterona e estrogênio – regulam o tecido gorduroso, atuam no funcionamento do coração e regulam a densidade óssea
  • Melatonina – atua no sistema imunológico, nos receptores neurais e interferem diretamente na qualidade do sono.
  • DHEA – hormônio responsável pela regulação dos níveis de estresse
  • T3 e T4 – agem sobre o metabolismo e os níveis de energia do organismo, além de atuar na pele, cabelos, unhas e no trato intestinal
  • Pregnenolona – atua sobre os neurônios e na capacidade de memorização.

 

Quem pode fazer a Reposição Hormonal Feminina

 

Segundo os especialistas da Associação Brasileira do Climatério, órgão responsável por informar e conscientizar as mulheres interessadas no procedimento, alguns quadros são claramente contraindicados, dentre eles doenças cardíacas e hepáticas crônicas e/ou severas, casos de câncer de mama na família e sangramentos vaginais anormais.

Já a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia atestam que:

“Excetuados os casos impeditivos já citados, todos os demais estão sujeitos à análise individual”

Além disso, são passíveis de realizar a reposição hormonal feminina, desde que devidamente acompanhados por um médico responsável.

 

Dúvidas comuns sobre a Reposição Hormonal Feminina

 

Dentre as mulheres interessadas no tratamento de reposição hormonal existem algumas dúvidas recorrentes.

A principal delas diz respeito ao ganho de peso. Segundo os especialistas, não há uma relação direta entre o tratamento e o ganho de peso, como já mencionados acima.

O que ocorre é que com a diminuição do nível de hormônio, a mulher naturalmente tem suas formas modificadas, perdendo a silhueta e ganhando mais gordura na região abdominal.

Esse acúmulo pode trazer aumento no risco de infarto, e a reposição atua na melhoria geral do quadro.

Leia também:

Como Aumentar a Testosterona Naturalmente

Saiba a importância do hormônio Testosterona para Mulher

Saiba quais as causas e como tratar a Libido em Baixa

É muito comum também que a aparência e o estado de humor sejam preocupações de quem se submete ao tratamento de reposição hormonal feminina.

Em ambos os casos há melhoria sensível do aspecto da pele, dos cabelos e das unhas. As variações de humor repentinas, tão comuns no climatério, também são atenuadas com a reposição.

 

Muito mais qualidade de vida e saúde após a Reposição Hormonal Feminina

 

Embora os benefícios da reposição hormonal feminina se estendam à estética e ao humor, os especialistas alertam que esses não devem ser os motivos da reposição, e sim a busca pela manutenção da saúde geral da mulher nessa fase da vida.

O aspecto social também tem feito cada vez mais mulheres buscarem a reposição hormonal feminina.

Pois cada vez mais é comum a maternidade tardia, a busca pelo desempenho sexual, no climatério e na menopausa.

Com o adequado acompanhamento médico e com a análise caso a caso é possível determinar a época certa e a melhor forma de fazer a reposição hormonal feminina, e assim, assegurar mais saúde e maior qualidade de vida.

Mulheres!!! Não dispensem o que a reposição hormonal feminina proporciona!

Comecem cuidando melhor da alimentação e incluindo na rotina o Testodrol Cycle, o suplemento natural a base de testosterona e veja o que ele pode fazer por você.

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Sempre que for iniciar uma rotina de treinamento, consulte um Educador Físico. Sempre que for fazer uso de suplementos alimentares, procure a recomendação de um Nutricionista.

Todo o post publicado possui autorização expressa do autor. Não é autorizada a cópia total ou parcial de nenhum conteúdo disponível no site.

01 nov

Conheça a diferença do Whey Protein Feminino para o Whey Protein tradicional

Whey Protein Femino

O Whey Protein Feminino é um suplemento à base de proteína, indicado para mulheres que buscam melhorar a performance em várias áreas.

A primeira consideração sobre o produto é que ele realmente é diferente do Whey Protein tradicional na sua composição, mas esse fato divide opiniões, como veremos a seguir.

No entanto, o surgimento do Whey Protein para Mulheres, está diretamente associado a necessidade de atender a demanda, que necessita de um suplemento hiperproteico, mas sem correr riscos com interferências hormonais.

Definitivamente, a realidade mostra que a ideia de que mulheres não podem se beneficiar dos suplementos é ultrapassada!

Pois muitos nutrientes naturais são agregados aos produtos disponíveis no mercado, que podem ser comercializados livremente desde que entreguem o que prometem nos rótulos, e assim auxiliam e simplificam a vida da mulher contemporânea.

E, se você frequenta a academia e que se empenha para manter o peso, e para isso carrega consigo lindos potes com brócolis, frango, arroz integral, e uma pequena massa de sobremesa, porque leva a alimentação a sério e quer manter o corpo em forma.

Porém, a macarronada com muito molho e um Cheesecake de sobremesa te assombram, quem sabe poderia se dar muito bem com o Whey Protein Feminino.

Outro exemplo, são as dificuldades que enfrenta com a série de deadlifts romenos, pesos e agachamentos, e que com mais proteína poderiam ser menos maçantes.

Conheça a diferença do Whey Protein Feminino para o Whey Protein tradicionalDe acordo com um estudo proferido pelo International Journal of Eating Disorders, mulheres tendem a consumir menos proteína que o homem, um dos motivos que leva a aumentar o peso tão facilmente.

A preocupação com o corpo, seja para emagrecer, definir ou ganhar massa, são motivos suficientes para que mulheres conheçam e possam contar com produtos com grande quantidade de proteínas, formulados exclusivamente para elas.

Vale ressaltar que o Whey Protein não está ligado a hipertrofia diretamente, mas sim, em aumentar a resistência física, a tonicidade da musculatura e outros benefícios que veremos adiante.

Ou seja, você não vai ficar musculosa com o suplemento!

No artigo de hoje, vamos conhecer a fórmula do Whey Protein Feminino, como age no organismo da mulher, quais os benefícios e diferenças em relação ao suplemento tradicional. Acompanhe!

 

O que é Whey Protein Feminino?

 

A fórmula tradicional do Whey é rica em BCAAs – Branch Chain Amino Acids, conhecidos por nós como aminoácidos de cadeia ramificada, composta por A L-Valina, L-Leucina e L-Isoleucina.

No entanto, no suplemento específico para o público feminino, estão inclusos a elastina, colágeno hidrolisado, proteína isolada da soja, e também óleo de semente de uva.

Traduzindo: Todos esses ingredientes, agrupados em blocos de aminoácidos, trazem inúmeros benefícios e diferenciais para mulheres que treinam, como por exemplo:

  • Reconstruir qualquer músculo que tenha sofrido impacto durante o treino;
  • Aumentar o fortalecimento muscular;
  • Manter a massa magra no caso de dietas e emagrecimento.

A proteína biológica derivada do leite que está concentrada no whey protein é muito fácil de ser assimilada pelo ser humano, ela favorece a recuperação dos tecidos, o que faz com que este suplemento seja muito apreciado pelos praticantes de treinos e atletas.

Para mulheres que querem aproveitar o máximo deste tipo de suplemento nós recomendamos o Whey Protein Femmy com colágeno Fortygar.

 

Cada elemento da fórmula feminina do Whey Protein Feminino tem uma função

 

Os ingredientes a mais do Whey Protein para mulheres foram pensados para influenciar no corpo feminino de forma positiva.

E o primeiro ponto a se observar é em relação ao tipo de proteína (fundamental) do suplemento, que é meticulosamente estudada para oferecer o mínimo de gordura ao organismo.

As proteínas hidrolisadas do Whey Protein, são quase nulas em lactose, o que aumenta as chances de uso também por mulheres com intolerância à lactose ou alergia à proteína do leite, o que não afasta a obrigatoriedade de consultar um médico antes de aderir ao consumo.

Além disso, todos os aminoácidos essenciais, o colágeno e a elastina do produto agregam à vida da mulher, principalmente nos aspectos relacionados ao:

  • Controle do apetite, deixando-o regulado sem crises de fome;
  • Na manutenção da pele, deixando-a mais firme e vistosa com elasticidade e rigidez;
  • Ajuda na hidratação corporal;
  • Melhoras no sistema circulatório;
  • Cabelos e unhas mais fortes;
  • Amenizar o crescimento de rugas e envelhecimento cutâneo.

É muito importante lembrar que os suplementos de whey protein podem conter adição de outros nutrientes, como vitaminas e minerais.

Leia também:

Suplementação para Mulheres: Conheça os suplementos mais indicados para o público Feminino

Algumas marcas também potencializam o Protein com enzimas digestivas (Protease, Carboidrase, Lipase, Nuclease e Maltase) todas importantes para aumentar o bom funcionamento do organismo da mulher.

Sobre engordar com Whey Protein, destacamos que: só se confirma caso seja consumido em excesso!

Todavia, se a mulher não mantém os cuidados necessários para nivelar o peso, é bem provável que o produto interfira para o ganho, situação normal quando se excede qualquer tipo de alimento.

 

Como consumir Whey Protein Feminino?

 

Como a proposta é a regeneração muscular, o momento de consumo ideal deste suplemente é logo após o treino, entre 30 minutos e 1 hora posterior.

Lembramos que o Protein para mulheres é uma fonte de proteína que tem calorias, e deve ser consumido para substituir uma refeição e não como complemento, evitando assim aumento de peso.

Só para você ter uma ideia, um scoop de whey  pode chegar a 200 kcal, no caso de  uma dieta de 1200 kcal/dia você já estará ingerindo 10% do permitido.

Consumir corretamente o suplemento é fundamental para obter o máximo de benefícios. A função construtora da proteína do Whey é um macronutriente não indicada para o pré treino, por exemplo.

Há duas situações ainda que devem ser observadas:

  1. Quando o Whey Protein Feminino é consumido com água contribui com menos calorias e gorduras, importante para quem precisa emagrecer;
  2. Quando consumido com suco de fruta, leite desnatado, ou com a inclusão de outro carboidrato (tipo maltodextrina) aumenta a massa muscular.

As doses adequadas e seguras para o consumo oscilam entre as mulheres de acordo com seus objetivos, justamente por isso, consultar um nutricionista é indispensável na definição da ingestão diária ideal.

 

Para quem o Whey Protein Feminino não é indicado?

 

O Whey feminino não é um suplemento hormonal sintético, no entanto, mulheres grávidas ou que amamentam não devem consumir o produto.

Mulheres com problemas renais ou com outros diagnósticos de doenças metabólicas sempre devem consultar um médico antes de consumir qualquer tipo de suplemento.

 

Whey Protein tradicional x Whey Protein Feminino

 

Há controvérsias em relação as diferenças possíveis nos dois produtos e como elas poderiam somar a vida das mulheres, já que o Protein tradicional também oferece os dois ingredientes destaque (colágeno e elastina).

De um lado, há especialistas em nutrição que afirmam que o whey protein feminino não seja tão superior ao tradicional no aspecto de alcançar massa muscular.

E que, por si só, a maior concentração de colágeno e elastina não justificariam a compra do produto para atender necessidades femininas.

Leia também:

Tipos de Whey Protein e seus Benefícios

O que é WHEY PROTEIN, para que serve, como e porque tomar?

Marketing estratégico ou não! O fato é que, experimentar o produto depende das condições nutricionais que oferece, principalmente na quantidade de proteínas que estando em 80%, baixo índice de gorduras e pouco carboidratos pode merecer sua confiança.

Neste contexto, a proposta do Whey Protein feminino, surge como o coadjuvante da mulher que treina, precisa de um suplemento, mas quer ganhos estéticos também.

 

Detalhes importantes sobre o Whey Protein Feminin

 

O mercado de suplementos tem crescido consideravelmente e por isso, muitas vezes confunde quem procura pelo Whey Protein.

É importante optar por marcas fiscalizadas pela ANVISA, e se manter atenta a algumas especificações como a quantidade de carboidratos e açúcar, o que interfere para mais ou menos calorias em cada porção.

Na forma Whey Protein isolado, você encontra mais proteínas e menos carboidratos, se mostra mais eficiente para ganho de massa.

Já na versão hidrolisado, irá encontrar as “proteínas quebradas”, mais fáceis de serem digeridas pelo organismo, e menos relevantes no quesito calorias.

É preciso desmistificar o uso de suplementos por mulheres!

E a bandeira principal, é que o Whey Protein Feminino não é só para esportistas, pois é recomendado por nutricionista para muitas mulheres que se aproximam dos 40, como fonte para manter a massa muscular.

Mulheres que se ama estão aderindo ao Whey Protein Femmy com colágeno Fortygar, e como sabemos que você também se ama, sugerimos que experimente e depois compartilhe conosco sua experiência!

 

Referências
ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/11429982
ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/19889822

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Sempre que for iniciar uma rotina de treinamento, consulte um Educador Físico. Sempre que for fazer uso de suplementos alimentares, procure a recomendação de um Nutricionista.

Todo o post publicado possui autorização expressa do autor. Não é autorizada a cópia total ou parcial de nenhum conteúdo disponível no site.

01 nov

Conheça os riscos do HIIT, o Aeróbio de Alta Intensidade

Conheça os riscos do HIIT, o Aeróbio de Alta Intensidade

De uns anos para cá, a prática do HIIT, que é uma forma de realizar aeróbios, em alta intensidade, foi popularizada e muito sobre seus benefícios é falado nos meios de comunicação. Porém, o que a maioria das pessoas não sabe, por falta de informação ou acesso a bons profissionais de educação física, é que essa prática não deve ser realizada por qualquer tipo de pessoa, sendo assim, no artigo de hoje, iremos discutir sobre os riscos do HIIT.

 

Introdução e benefícios do HIIT

 

O hiit é uma sigla que deriva de high intensity interval training e significa “treinamento de alta intensidade intervalado”. De forma simplificada, trata-se de uma prática de exercícios aeróbios em altíssima intensidade e, normalmente, curta duração, com algumas pausas.

Muito é falado sobre os benefícios que ele gera ao organismo, sendo a maioria verdade mesmo, como melhora de perfil lipídico (“níveis de colesterol no sangue”), redução de hipertensão, combate a doenças metabólicas, etc.

Além disso, sobre a perda de gordura, é dito que ele é muito mais eficiente que os aeróbios tradicionais, uma vez que promove o mesmo gasto calórico em um total de treino 40% menor. Há também quem fale que, por conta do grande aumento de catecolaminas na circulação, a atividade é mais satisfatória para perda de gordura visceral, que é um tecido adiposo entre os órgãos da cavidade abdominal que é difícil de ser perdido.

(observação: as referências de todas estas informações seguem na parte bibliográfica ao final do texto)

 

Os riscos do HIIT

 

Bom, posto isto, acredito que muitos ficaram tentados a praticar essa modalidade de aeróbios, porém, só para cortar a animação do leitor, vejamos, agora, quais os riscos do hiit.

O principal ponto a ser trabalhado neste artigo é a ideia da sobrecarga. Ao realizarmos corridas e caminhadas levamos um impacto em nossas articulações que é sempre proporcional ao nosso peso corporal (pc).

No caso da caminhada, os valores ficam entre 1,2 a 1,5 vezes nosso pc; na corrida, por sua vez, a porrada varia muito conforme nossa velocidade, ficando normalmente em 1,6 e 1,8 pc na baixa intensidade, podendo chegar a mais de 4pc em corridas de 100m de atletas profissionais, por exemplo.

Sendo assim, para ilustrar, um sujeito de 100kg, caminhando, leva um impacto de cerca de 130kg em cada joelho. Caso ele resolva correr, o número sobe para 180kg! Sentiu o drama, amigo leitor?! Se um sujeito de cerca de 70kg realizar uma corrida em altíssima intensidade, a quase 20km/h, ele irá receber quase o mesmo impacto nos joelhos que um obeso caminhando!

Posto isto, imagine, então, uma pessoa com sobrepeso ou com diferentes graus de obesidade realizando o hiit, na tentativa desesperada de perder peso: o que irá acontecer? Ele muito provavelmente irá se lesionar no longo prazo, oras…

O pior de tudo, é que estas lesões articulares são crônicas, não têm cura e vão se somando ao longo do tempo, não sendo rápidas de serem percebidas, de modo que a pessoa consiga persistir no erro por um bom tempo até descobrir que o inferno no qual se meteu…

Bom, mas nem só quem está acima do peso corre riscos com a prática do hiit: por conta da alta intensidade e curtos intervalos, a presença da fadiga é algo muito comum, o que pode ser péssimo quando pensamos na questão da sobrecarga, uma vez que um músculo em fadiga tem a sua capacidade de absorver impacto diminuída, ou seja, a sobrecarga irá sobrar para outras estruturas como ossos, cartilagens, tendões, ligamentos, etc., o que também é péssimo caso não estejam adequadamente fortalecidas.

Leia também:

Entenda como funciona o AERÓBICO em JEJUM

A Ciência e a Especulação sobre o AERÓBIO em JEJUM

Continuando, muitos profissionais formados não sabem prescrever volume e intensidade de treino de forma adequada e individualizada. Pior ainda no caso de quem nem é da área e gosta de se sentir professor brincando de prescrever exercício de forma amadora…

Resultado disso é que os mecanismos de supercompensação do organismo são desrespeitados, não dando tempo suficiente para que nossas estruturas se fortaleçam e melhor lidem com o impacto, aumentando as chances de lesão. Não é à toa que 70% das pessoas que começam a praticar corrida se lesionam em menos de um ano de prática, conforme citei no meu artigo sobre corrida aqui do site.

Se as lesões já são gigantes numa corrida de baixa intensidade, imagine, então, no caso do hiit?!

Outro ponto que posso comentar é o do crossfit, que também já foi tema de um artigo meu por aqui. Nessa atividade, é absurdamente comum a utilização do hiit ou de adaptações dele, com grandes intensidades de treino.

Como, mais uma vez, temos muitos praticantes com má orientação, chegamos a índices altíssimos de lesão. A título de comparação, em 18 meses um praticante de crossfit consegue o mesmo número de lesões que um powerlifter profissional em 20 anos de carreira…

 

Considerações finais e conclusão sobre os riscos do HIIT

“quer dizer, então, que não devemos fazer hiit?!”

Claro que podemos! No começo do texto, inclusive, eu falei que é uma forma de realizar aeróbios que traz uma série de benefícios ao organismo! O grande detalhe aqui é que o hiit só deve ser feito por pessoas que estejam preparadas para tanto, ou seja, que já tenham uma bagagem prévia de treinamento, com estruturas corporais fortalecidas e preparadas para lidar com altos impactos e uma porcentagem de gordura baixa.

Além disso, é extremamente importante ter um profissional de educação física de excelência para prescrever o treinamento, garantindo intensidades e volumes adequados de treino dentro de uma progressão bem pensada. Respeitando estas questões, a atividade trará uma série de benefícios e, o melhor, com segurança.

Para finalizar, no caso de obesos, os riscos do hiit são um ponto ainda mais delicado e seu uso ou não deve ser muitíssimo bem ponderado. Existem formas alternativas de utilizá-lo com essa população, com adaptações, porém, é importante ter em mente que a sobrecarga pode ser gerada não só por impacto com o solo, mas também, por forças internas, por exemplo, com uma estrutura tracionando a outra, como ocorre na bicicleta ergométrica.

Portanto, os cuidados devem ser redobrados dentro deste contexto de prescrição em especial, sendo em muitos casos, quem sabe, mais interessante a utilização de aeróbios em moderada a baixa intensidade mesmo, objetivando chegar à alta um dia.

Ficamos por aqui! Espero ter ajudado um bocado com este artigo no desenvolvimento do senso crítico de vocês e também tirado dúvidas sobre os riscos do hiit! Não se deixem orientar por amadores e aventureiros: aceitem apenas informações de profissionais altamente qualificados e atualizados, que sabem do que estão falando, pois estudam constantemente, conhecem a prática de trabalho e se baseiam em ciência, e não em achismos, lendas e tradições. Bons treinos e até a próxima!

 

Bibliografia

appropriate physical activity intervention strategies for weight loss and prevention of weight regain for adults. Acsm. 2009.

chin et al., physical activity and obesity: what we know and what we need to know. 2016.

hannibal et al., exercício físico e obesidade: o impacto das diferentes modalidades. Revista brasileira de prescrição e fisiologia do exercício issn 1981-9900.

wewege et al., the effects of high-intensity interval training vs. Moderate-intensity continuous training on body composition in overweight and obese adults: a systematic review and meta-analysis. 2017.

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Sempre que for iniciar uma rotina de treinamento, consulte um Educador Físico. Sempre que for fazer uso de suplementos alimentares, procure a recomendação de um Nutricionista.

Todo o post publicado possui autorização expressa do autor. Não é autorizada a cópia total ou parcial de nenhum conteúdo disponível no site.

30 out

KIMERA – O que é, como funciona, como tomar, efeitos colaterais

KIMERA - O que é, como funciona, como tomar, efeitos colaterais

A função principal do Kimera é liberar catecolaminas que são hormônios, com funções específicas para acelerar o metabolismo.

Integrante da família dos termogênicos, os componentes da fórmula deste produto são ideais para pessoas que precisam acelerar otimizar o desempenho do metabolismo.

As substâncias encontradas nos termogênicos, entre elas a Garcínia, cafeína, Sinefrina HLC, Octopamina (originária do Citrus Aurantium) e a Yohimbe, quando associadas promovem a queima de calorias de forma muito rápida, denominada termogêneses.

Esses e outros ingredientes estão contidos na fórmula do Kimera, promovendo-o a preferido como coadjuvante quando se necessita emagrecer e amenizar o apetite.

No entanto, os dois maiores objetivos com o uso do suplemento é, tanto para facilitar a queima de gordura corporal quanto para aqueles que praticam atividades físicas com o objetivo de ganhar massa muscular.

Talvez você esteja se perguntando, mas como um termogênico que emagrece vai me ajudar a aumentar e tonificar os músculos?

Isso ocorre, graças a condição do Kimera de eliminar a gordura visceral (que fica acima dos músculos quando está em excesso).

Os efeitos do Kimera são sentido logo nos primeiros dias, e os principais são a vitalidade e a energia em níveis mais altos que o habitual sem o uso do produto. Além disso, as gorduras localizadas são atacadas também logo no início da suplementação feita com o Kimera.

 

O que é o Kimera?

 

O Kimera é um produto classificado como termogênico, ou seja, possui em sua formulação substancias que promovem a aceleração metabólica. O Kimera é indicado para pessoas que realizam treinos específicos de ganho de massa muscular e perda de gordura corporal.

A termogênese é o aumento da temperatura interna do organismo, que ajuda no processo da queima das calorias que são transformadas em energia. O uso de produtos que favorecem a termogênese é bastante comum e divulgado em diversas partes e do mundo, e no Brasil, suplementos como o esse são muito populares em academias e em centros de treinamento.

Dentre os principais benefícios do uso estão:

  • Aumento da função metabólica, fundamental para o aumento dos níveis de energia e queima de gorduras acumuladas
  • Redução da necessidade de ingestão alimentar, pois possui grande poder de saciedade
  • Aumento da massa muscular magra do corpo, através da queima de gorduras
  • Aumento da vitalidade e da energia, tanto para atividades cotidianas quanto para a prática de exercícios de grande carga de intensidade

 

Como funciona o Kimera

 

Na categoria de suplementos termogênicos, existem diversos tipos diferentes, como os diuréticos, os redutores de apetite, os próprios para a queima de gordura e os que favorecem o aumento da capacidade metabólica. O Kimera se encaixa nesse último tipo de suplemento termogênico.

As substancias presentes na formulação do Kimera atuam diretamente nas células, liberando a gordura para que se transforme em energia. Assim, ao mesmo tempo, o organismo perde gordura e ganha vigor, e essa atuação simultânea potencializa os resultados daquelas pessoas que praticam atividade física de alto impacto.

Assim, o Kimera é indicado para pessoas com quadros de inibição metabólica, que apresentam dificuldade de emagrecer e que acumulam gordura mesmo sem o consumo exagerado de alimentos. Da mesma forma, o Kimera é indicado para quem malha buscando definição muscular e ganho de massa magra.

 

Como tomar o Kimera

 

A recomendação do fabricante é que seu consumo seja feito através de uma cápsula, duas vezes ao dia, durante um período determinado de acordo com as necessidades de cada indivíduo.

É importante ressaltar que esse complemento alimentar deve ser tomado com cautela e preferencialmente, com acompanhamento de um profissional da área de saúde ou de nutrição, a fim de que os efeitos possam ser benéficos ao organismo.

Dentre os principais componentes estão a maltodextina, a cafeína, substancias antiumectantes, o estereato de magnésio, o polietileno glicol, estabilizante e corante. Se alguma pessoa apresenta intolerância ou alergia a alguns dos ingredientes, o uso não é recomendado.

O Kimera pode ser consumido em conjunto com outros suplementos populares entre os atletas de academia, mas também nesses casos, é importante contar com a assessoria de um profissional nutrólogo ou da área da saúde para que a combinação dos suplementos seja feita de forma adequada.

 

Efeitos colaterais do Kimera

 

Assim como a maioria dos termogênicos, o Kimera pode apresentar alguns efeitos colaterais, principalmente durante os primeiros dias de uso. A termogênese muda radicalmente o funcionamento do metabolismo, e é comum encontrarmos alguns dos efeitos colaterais do Kimera, como:

  • Desconforto gastrointestinal, ocasionado pela liberação de gordura, que pode afetar o sistema digestivo e excretor
  • Dores de cabeça de baixa intensidade, pela dose extra de cafeína
  • Instabilidade emocional, principalmente nos primeiros dias de uso do Kimera, já que o aumento do metabolismo interfere na produção de hormônios que regulam o humor e o estado psicológico
  • Aumento dos batimentos cardíacos e em alguns casos, arritmia leve, causadas também pela alta concentração de cafeína no Kimera.

Indivíduos que já fazem suplementação devem estar atentos aos produtos que já contem cafeína, uma vez que a superdosagem pode ser nociva ao organismo. Por isso, é importante ler atentamente as formulações dos produtos e não consumir o Kimera junto com outro suplemento pré-treino que leve cafeína em sua fórmula.

 

Acelere seus Resultados

Kimera é um produto testado e aprovado por milhares de consumidores no Brasil, e que promove o aumento do metabolismo de maneira eficiente e segura. Tomadas as devidas precauções e com o necessário acompanhamento profissional, seu uso, aliado aos treinos e uma alimentação equilibrada e saudável, traz resultados expressivos em um curto período de tempo. Se sua intenção é perder gordura e ganhar massa, Kimera é um importante aliado em sua jornada.

 

  • 252
  •  
  •  
  •  
  •  

Sempre que for iniciar uma rotina de treinamento, consulte um Educador Físico. Sempre que for fazer uso de suplementos alimentares, procure a recomendação de um Nutricionista.

Todo o post publicado possui autorização expressa do autor. Não é autorizada a cópia total ou parcial de nenhum conteúdo disponível no site.

27 out

Receita de Receita de Pão de Queijo Fit

Receita de Pão de Queijo Fit

Uma das receitas mais amadas do Brasil é o pão de queijo. E não é pra menos: gostoso, macio e repleto de lembranças da infância, abrir mão dele na hora da dieta é mais difícil do que se imagina. Mas, como vocês acompanham aqui no blog, sempre postamos alternativas às receitas mais calóricas, deixando-as bem mais saudáveis e ideais para quem está passando por uma reeducação alimentar. É o caso do pão de queijo fit, feito com o queijo frescal, que tem os nutrientes como o cálcio muito mais concentrados que os demais queijos, além de ser uma das opções menos gordurosas.

Além disso, essa receita vem com um bônus extra: a semente de chia! Ela é famosa por dobrar de tamanho em contato com o estômago ou com a água, fazendo com que haja  mais sensação de saciedade e por tempo prolongado. Isso é excelente para quem está precisando perder peso, já que faz com que a quantidade de calorias ingeridas sejam bem reduzidas.

Leia também:

Receita Anabólica: Escondidinho Batata Doce com Frango

Receita simples, fácil e barata para fazer ‘Omelete Hiper Protéico’

Por fim, precisamos lembrar que a manteiga presente na receita, apesar de ser mais calórica que a margarina, é mais saudável e fornece nutrientes essenciais como proteínas, que dão um gás extra aos treinos. No geral, o pão de queijo fit é uma excelente opção para matar a vontade do famoso pão de queijo comum, já que é bem mais leve e igualmente saboroso. Sem mais delongas, hora da receita! Confira!

 

INGREDIENTES

  • 2 xícaras de polvilho doce
  • 2 colheres de chá de manteiga light
  • Sal a gosto
  • 1 ovo
  • 1 colher de sopa de sementes de chia (para trazer saciedade)
  • Meia xícara de leite morno desnatado
  • Meia xícara de queijo frescal

 

MODO DE PREPARO

Agora é hora do passo-a-passo desse delicioso pão de queijo Fit. Anote tudo e siga corretamente as etapas!

  1. Pegue uma tigela de tamanho médio e nela coloque o polvilho, o sal, 1 das colheres de manteiga e um ovo.
  2. Misture tudo e reserva.
  3. Esquente metade do leite e adicione a outra colher de manteiga junto à ele.
  4. Acrescente essa mistura de leite com manteiga à massa que estava reservada em um local próximo.
  5. Vá acrescentando o restante do leite, o queijo e as sementes de chia.
  6. Misture bem até que a massa fique bem macia e homogênea.
  7. Em seguida, faça pequenas bolinhas e coloque-as em uma assadeira. O tamanho das bolinhas vão depender da quantidade de porções que você deseja fazer. Mesmo as maiores, ficam igualmente saborosas.
  8. Leve ao forno baixo pré-aquecido a 170 graus por, em média, 25 minutos ou até que passe a dourar.

 

Rendimento: Em média 10 porções, dependendo do tamanho do pão de queijo.

Gostou desta receita? Curta e compartilhe com os seus amigos. Até a próxima!

 

Sirva o Pão de Queijo Fit e bom apetite!

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Sempre que for iniciar uma rotina de treinamento, consulte um Educador Físico. Sempre que for fazer uso de suplementos alimentares, procure a recomendação de um Nutricionista.

Todo o post publicado possui autorização expressa do autor. Não é autorizada a cópia total ou parcial de nenhum conteúdo disponível no site.

26 out

Receita de Cheesecake Light de Morango

Receita de Cheesecake Light de Morango

O cheesecake é uma das delícias mais desejadas do mundo todo e agrada quase todos os paladares. Mas a versão original com muito queijo é praticamente proibida para quem está precisando perder peso ou mesmo está seguindo uma dieta mais saudável e leve. Porém, sabemos que todas as receitas podem ser modificadas e se tornarem perfeitas para qualquer tipo de alimentação e ainda ficarem muito mais saudáveis, e esse é o caso do Cheesecake Light que iremos apresentar hoje.

Nesta versão, optamos por ingredientes menos pesados, como o iogurte natural, que traz a textura e o sabor do bolo original, mas sem torná-lo muito calórico. Além disso, optamos também por ricota ao invés do queijo tradicional, que contém baixo teor de gordura e uma boa concentração de proteínas- isso sem falar do cálcio presente neste derivado, que traz mais energia aos músculos durante os treinos e evita problemas como câimbras e fadiga muscular.

Cheesecake de MorangoPor fim, o suco de limão, que desintoxica o organismo e quebra um pouco as gorduras presentes na margarina ou na manteiga. O resultado final é um Cheesecake Light delicioso, para comer sem peso na consciência! Confira logo abaixo como prepará-lo!

 

Preparo do Cheesecake Light

 

INGREDIENTES (Massa)

  • 1 pacote de biscoito esfarelado grosso (de preferência, que tenha baixo teor de gordura e açúcar, como o maisena)
  • 4 colheres de sopa de manteiga light derretida

 

MODO DE PREPARO (Massa)

  1. Primeiro, pegue uma tigela ou um pote de vidro de tamanho médio ou em vários pequenos
  2. Misture o biscoito moído com a margarina ou manteiga, até forme uma espécie de farofa
  3. Mova essa mistura para uma forma de aro removível
  4. Pressione a farofa no fundo desta forma
  5. Leve ao forno por cinco minutos em 160ºC
  6. Deixe reservado esfriando

 

INGREDIENTES (Creme)

  • 1 xícara de cream cheese light
  • 1 xícara e meia de ricota light
  • 1 xícara de iogurte natural desnatado
  • Açúcar mascavo a gosto
  • 2 colheres de sopa de farinha de trigo
  • 2 colheres de sopa de suco de limão
  • 6 claras refrigeradas
  • 300g de morango fatiado

 

MODO DE PREPARO (Creme)

  1. Na batedeira, em velocidade baixa, bata o cream cheese e a ricota, até que a mistura fique bem homogênea
  2. Aos poucos, adicione o iogurte, o açúcar mascavo, a farinha e o suco de limão por último sem deixar de bater
  3. Ainda sem deixar de bater, adicione a clara
  4. Leve essa mistura para a forma onde está a base do Cheesecake Light
  5. Em forno médio, asse por 60 minutos
  6. Depois de assado, deixe o Cheesecake Light descansar por 20 minutos
  7. Retire o aro da forma e deixe esfriar por mais 35 minutos
  8. Leve à geladeira por 12 horas
  9. No outro dia, decore com morangos e sirva

 

Rendimento: Até 16 porções.

Leia também:

Bolo de Chocolate + Cobertura de Chocolate (Receita Maromba)

Brownie de Chocolate Fit (receita sem Glúten e sem Lactose)

Receita Anabólica: Brigadeiro sem Leite Condensado (Light + Proteína)

 

Gostou desta receita? Curta e compartilhe com os seus amigos. Até a próxima!

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
25 out

Tri-Sets – Guia sobre a Técnica + Exemplo de Treino

Tri-Sets Guia sobre a Técnica Tri-Set Exemplo de Treino Tri Sets

Uma das técnicas mais utilizadas para aumentar a intensidade dos treinos são os Tri-Sets, que oferecem grande ajuda para que os atletas saiam da estagnação.

Afinal, depois de alguns anos de treinamento com resultados positivos, você inevitavelmente vai sentir que atingiu o limite do crescimento, e que ter ganhos de massa muscular vai se tornar cada dia mais difícil.

Torna-se necessário então utilizar uma mistura de técnicas para potencializar os efeitos dos exercícios e proporcionar um choque muscular.

Isso significa que os tri-sets vão causar um dano na sua musculatura para que ocorra a hipertrofia, o que quer dizer que não será um treinamento fácil, muito pelo contrário, espere por bastante dor.

Neste artigo vamos explicar um pouco melhor como funcionam os tri-sets e oferecer alguns exemplos de treino.

 

O que são os Tri-Sets?

 

Os tri-sets são bastante simples de serem entendidos, basta dizer que são compostos pela realização de três exercícios sem pausa entre eles, ou seja, você começa o primeiro, faz as repetições, e parte para o segundo e o terceiro exercícios da mesma forma, somente descansando depois de completar os três.

Os tri-sets nada mais são do que super sets, a diferença é que neste são realizados dois exercícios sem descanso, enquanto naquele são três.

Percebe-se que é uma forma de treinamento agressiva, que visa estimular o músculo, e a qual somente atletas muito preparados devem recorrer.

Treino Tri-SetsO esforço costuma ser tão grande que o gasto calórico também é elevado, o que significa que você estará queimando gordura corporal enquanto estiver praticando-o.

É importante destacar também que o tri-set é realizado com três exercícios para o mesmo grupo muscular.

Estudos já demonstraram que os tri-sets podem melhorar a eficiência dos treinamentos e reduzir o tempo de treino, mas ele também exige um tempo de recuperação pós-treino para minimizar os efeitos da fadiga.

 

Qual é o objetivo dos Tri-Sets?

 

Os tri-sets visam, sobretudo, atingir os objetivos listados abaixo:

 

1) aumentar o recrutamento de unidades motoras

Esse é um termo muito utilizado na musculação, e está relacionado com a quantidade de força empregada em um exercício, e quem define-a não é o músculo, mas sim o sistema nervoso central, que ativa as fibras musculares, cujo conjunto é chamado de unidades motoras.

Assim, quanto maior é o recrutamento de unidades motoras que um exercício proporciona, maior é a eficiência dele.

 

2) aumentar o fluxo sanguíneo

O aumento do fluxo sanguíneo é chamado também de vascularização, que é o que se nota em atletas que já estão um nível bastante avançado e possuem as veias sobressaltadas.

Quanto maior é a vascularização, maior é a quantidade de oxigênio e nutrientes que chegam aos músculos.

 

3) aumentar o estresse metabólico

O estresse metabólico estimula a hipertrofia muscular, pois ele é resultante de exercícios que provocam o choque muscular e que, consequentemente, aumentam a acumulação metabólica.

Ele esta diretamente relacionado aos exercícios volumosos, que possuem diversas séries e repetições.

 

Exemplos de Treino Tri-Sets

 

Separamos alguns exemplos de execução dos tri-sets para que você consiga incorporá-lo corretamente ao seu treino.

 

1) Peitoral

Para realizar um tri-set de peitoral, você pode realizar de 6 a 8 repetições dos exercícios abaixo, com 5 séries e descanso de 30 segundos no máximo.

  • supino inclinado com halteres
  • crucifixo inclinado com halteres
  • flexões de braço

 

2) Bíceps

O tri-set de bíceps pode ser realizado com 8 a 10 repetições, com 3 séries e descanso de 30 segundos.

  • flexão de antebraço com barra (pegada pronada)
  • rosca Scott com barra
  • flexão de antebraço com barra (pegada supinada)

 

3) Tríceps

O tri-set para o tríceps também pode ser realizado com um treino de 8 a 10 repetições, com 3 séries e 30 segundos de pausa.

  • tríceps francês com halteres
  • tríceps testa com barra
  • pulley tríceps

 

Para quem os Tri-Sets são recomendados?

 

Pessoas que possuem pouco tempo para treinar costumam adorar esta técnica, muitas vezes a execução de um tri-set já é um treino inteiro, o que significa bem menos tempo na academia.

É importante destacar que os tri-sets são recomendados para quem já treina há algum tempo, pois ele exige muito esforço físico e psicológico, além de requerer que o praticante saiba executar os exercícios com perfeição.

Leia também:

Treino em Pirâmide – Guia sobre o Método + Exemplo de Treino

GVT – Guia sobre a Técnica Avançada de Treinamento + Exemplo de Treino

Rest Pause Training – Guia sobre a Técnica Avançada de Treinamento + Exemplo de Treino

Iniciantes que queiram se iniciar nesta prática podem ter experiências traumáticas o que pode afetar a motivação para continuar treinando, além de estarem mais sujeitos a lesões e overtraining.

 

Qual é a carga ideal nos tri-sets?

Na execução dos tri-sets é fundamental que os praticantes diminuam a carga, pois a demanda que ele impõe sobre o corpo é muito alta,

O ideal é que se utilize 40 a 60% do peso que você utilizaria normalmente, e importante que você não tenha qualquer receio em diminui-la, pois o esforço continuará sendo enorme.

 

A ordem dos exercícios influencia na eficiencia do tri-set?

Uma das dúvidas que os praticantes de tri-sets possuem é sobre a ordem certa de praticar os exercícios e qual pode dar melhor resultado.

Um estudo recente buscou desvendar está dúvida através da analise do treino de 10 homens com experiência em treinos com pesos.

Eles foram então submetidos a exercícios para o peitoral em que verificaram que quando o exercício monoarticular é realizado antes do multiarticular, o número de repetições e o volume de treinamento são maiores.

Por multiarticulares entendem-se os exercícios que envolvem mais de um grupo muscular ou articulação, contrariamente ao monoarticular, que exercita apenas um grupo.

Os tri-sets então devem ser utilizados apenas pode atletas que já tenham bastante conhecimento e experiência em treinos avançados, e que consigam lidar com a exaustão causada por ele.

 

Referências

Sixpackabs.com. How to BLOW UP your chest with tri-sets

Hayward, Lee. Advances bicep blasting tri-set workout

Canal do personal tv. Hipertrofia – Método tri-set – Canal do Personal

Power fit couple. Tri-set- o que é e para que serve?

J. S. Weakley, Jonathon; Till, Kevin; Read, Dale B; Roe, Gregory A. B; Darrall-Jones, Joshua; Phibbs, Padraic J. ; Jones, Ben. The effects of traditional, superset, and tri-set resistance training structures on perceived intensity and physiological responses

Ribeiro, Ale Silva; Rodrigues Pereira da Silva, Danilo; Amarante do Nascimento, Matheus; Avelar, Ademar; Mendes Ritti-Dias, Raphael; Serpeloni Cyrino, Edilson.

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Sempre que for iniciar uma rotina de treinamento, consulte um Educador Físico. Sempre que for fazer uso de suplementos alimentares, procure a recomendação de um Nutricionista.

Todo o post publicado possui autorização expressa do autor. Não é autorizada a cópia total ou parcial de nenhum conteúdo disponível no site.

INSCREVA-SE para receber dicas de treino, nutrição e suplementação