04out

Treinamento Funcional: entenda o que é e para que ele serve

O que é treinamento funcional e para que ele serve

.
O que é treinamento funcional?
.

De maneira bastante simplificada e resumida, a concepção de treinamento funcional existe desde 1911 e refere-se a todo programa de treino que deixa o indivíduo mais funcional, ou seja, melhor preparado para desempenhar tarefas da vida diária.

Em seus tempos mais primórdios, a base do treinamento funcional era a mesma do powerlifting, utilizando movimentos de levantamento terra, supino e agachamento, uma vez que, por se tratarem de exercícios multiarticulares, promoviam bastantes benefícios em fortalecimento muscular e ganho de força, deixando o praticante mais funcional.

Anos mais parte, começou a surgir outra abordagem de treinamento funcional, que se baseou em quatro domínios (estabilização espinal, resistência, flexibilidade e equilíbrio e propriocepção), que foram aplicados no campo da reabilitação buscando recuperar funções perdidas das pessoas, gerando resultados muito positivos, como melhora de estabilidade articular, amplitude de movimento, controle neuromuscular, etc.

Basicamente, estes programas são realizados com exercícios de calistenia (aqueles que usam o próprio peso do sujeito para gerar sobrecarga), alongamento e também com acessórios que geram algum tipo de instabilidade, sendo os mais famosos o bosu e os dyna disks, que são colocados numa base de suporte, por exemplo, o chão, onde o indivíduo irá realizar exercícios convencionais, feito flexão de braço e agachamento.

Por conta dos resultados positivos, resolveram expandir esses programas de treinamento para pessoas saudáveis, com o intuito deixá-las mais funcionais também, porém, a meu ver, boa parte dos resultados disso foram catastróficos, pois muita gente saiu aplicando instabilidade em qualquer exercício, sem critério ou reflexão, sem nenhuma base teórica, apenas para se promoverem nas redes sociais, incentivando pessoas leigas a fazerem exercícios perigosos e desnecessários…

 

Quais as vantagens do treinamento funcional?

 

Uma das coisas que você mais vai ouvir falar a respeito dos benefícios do treinamento funcional é que ele aumenta a ativação muscular. Isto é verdade? Sim e não.

O que os estudos científicos realizados com eletromiografia, que é uma técnica que mede atividade muscular, estão mostrando é que de fato há maior recrutamento de alguns grupos musculares, porém, muito diferente do que é vendido e defendido por aí.

Como diversos exercícios são realizados com a utilização de instabilidade, nossos músculos estabilizadores podem acabar sendo mais solicitados para dar suporte ao movimento, sendo o maior efeito aqui no chamado core, que envolve os músculos abdominais e estabilizadores da coluna, por exemplo, popularmente chamados de posturais. Músculos antagonistas, ou seja, aqueles que desempenham ações contrárias ao movimento que está sendo realizado, também podem acabar participando mais.

Por outro lado, e aqui temos uma das informações mais importantes do artigo, os músculos agonistas, que são os responsáveis por realizar o movimento que desejamos fazer, não aumentam sua atividade no treinamento funcional!

Treinamento FuncionalNo ano de 2008, o pesquisador bosco de melo, na universidade de são paulo, comparou a execução do exercício de agachamento livre numa plataforma instável (uso do bosu) e no chão, utilizando dez pessoas que já tinham bastante experiência no treino funcional e o que observaram é que, para a mesma carga relativa, a ativação do quadríceps foi sempre a mesma, com ou sem a presença da instabilidade. Ou seja, quando o assunto é musculatura agonista, esse tipo de programa não é capaz de aumentar recrutamento muscular!

Contudo, foi observado o aumento de trabalho do músculo sóleo (um dos que compõe as panturrilhas), uma vez que, por conta da instabilidade, elas foram obrigados a trabalhar mais para manter o equilíbrio do sujeito, para que ele não caísse. E por que isto ocorreu? Porque se trata de um músculo postural/estabilizador.

Leia também:

Treinamento_funcional para emagrecer, já experimentou?

Outro trabalho interessante foi realizado pelos pesquisadores snarr e esco, em 2013, comparando a realização de flexões de braço com e sem a utilização de instabilidade. Segundo os resultados, conforme esperado, não houve aumento de ativação do peitoral, porém, em relação aos ombros (deltoide anterior), sua ativação subiu de 59 para 81%, a fim de manter a estabilidade do movimento, tornando-o viável.

Portanto, dizer que o treinamento funcional aumenta o trabalho dos nossos músculos, ou os recruta mais, é uma meia verdade, uma vez que isto só se observa com grupamentos que atuam como estabilizadores de movimentos específicos, não influenciando os que realizam o próprio movimento em si.

BI 01BI 01

Outra vantagem do treinamento funcional é que ele melhora a rapidez de ativação muscular e de reajustes posturais, o que pode ser interessante para idosos (ajuda-os com o equilíbrio, evitando quedas) e para atletas de diversas modalidades, principalmente as de contato e de lances de disputa (melhora de propriocepção), como artes marciais, basquete e futebol.

Para encerrar, também foi descoberta uma coisa bastante especial sobre o treinamento funcional: de forma bem simples, ele é capaz de aumentar o número de ligações entre os neurônios do nosso cérebro, de uma maneira que nenhum programa de treino promove, sendo uma ferramenta muito interessante para ser utilizada com idosos, indivíduos com doença de parkinson, acidente vascular cerebral, entre outros (carey et al., 2005).

 

O treinamento funcional é interessante para todos?

 

Se você leu o artigo com atenção até aqui, percebeu que os grupos sociais que mencionamos foram atletas de atividades esportivas, idosos, portadores de doenças neurodegenerativas e indivíduos lesionados, ou seja, não mencionei “público em geral”.

E agora vem a dúvida: por que eu fiz isso? Ele não é interessante para todo mundo? A resposta é muito simples – não!

Como diz o ditado “para quem tem martelo, tudo é prego!”. E o que isto quer dizer? Que para quem só conhece e só sabe trabalhar com funcional, ele é o melhor modelo de treino de mundo! Quem só conhece crossfit, idem. Musculação? Natação? Corrida? Idem! Ou seja, quem só tem um martelo em sua caixa de ferramentas, sai querendo utilizá-lo em tudo que é lugar, achando que tudo é prego, mas a vida não é assim!

Como funciona o treinamento funcionalO treinamento funcional só é interessante se os objetivos e interesses do aluno (não do professor!) Combinarem com ele. Se não houver reciprocidade aqui, talvez outra abordagem possa se mostrar mais adequada.

Leia também:

Conheça treinamento de Oclusão Vascular ( método kaatsu )

Acho importante destacar que, por conta da utilização de instabilidade, os exercícios deverão ser realizados com bem menos peso, caso contrário, não só ficarão inviáveis, como perigosos. Sendo assim, o que observamos com o treinamento funcional é que indivíduos experientes, por exemplo, em musculação, acabam perdendo força no longo prazo, o que não é interessante.

Além disso, a porcentagem de quedas no primeiro dos artigos que citei, o da realização de agachamentos, foi de 10%, o que é um número considerável, mostrando que temos alguns riscos. E olha que não estamos discutindo aventureiros das redes sociais que querem chamar atenção e ganhar likes, mas sim pessoas muito bem orientadas e experientes nessa prática. Sendo assim, fica claro que o treinamento funcional não deve ser realizado sem a orientação de um profissional capacitado que supervisione muito bem os exercícios.

 

Considerações Finais

Vimos, ao longo do artigo, que o treinamento funcional, primeiramente, não é nenhuma novidade, já sendo discutido há mais de cem anos. Além disso, ele surge com o objetivo de deixar as pessoas mais funcionais, sobretudo no campo da reabilitação.

Devido ao seu sucesso, ele foi expandido para a população em geral e várias lendas foram surgindo, especialmente aquela de ele aumentar ativação muscular, o que vimos ser uma meia verdade, muitas vezes utilizada como propaganda enganosa.

Vimos também que as populações que mais se beneficiam da sua prática são idosos, grupos de risco, atletas, etc., e não todo mundo. Para sabermos se ele é adequado ou não, temos de estudar as características do aluno, objetivos e os seus gostos pessoais, afinal, mesmo que o indivíduo não tenha o perfil de alguém que precise de treinamento funcional, ele poderá fazê-lo caso a atividade lhe traga bem-estar ou algum prazer.

Para encerrarmos, não se esqueçam do que falei: os diferentes métodos de treino são ferramentas, com hora certa para serem usadas, não servindo para resolver todos os problemas do mundo, como muitos gostam de falar. Para quem só tem martelo, tudo é prego…

Ficamos por aqui! Espero ter ajudado um bocado com este artigo no desenvolvimento do senso crítico de vocês e também tirado dúvidas sobre o treinamento funcional! Não se deixem orientar por amadores e aventureiros: aceitem apenas informações de profissionais altamente qualificados e atualizados, que sabem do que estão falando, pois estudam constantemente, conhecem a prática de trabalho e se baseiam em ciência, e não em achismos, lendas e tradições.

 

Referências bibliográficas

Behm et al., 2001.

Bosco de melo, 2008.

Carey et al., 2005.

Snarr e esco, em 2013.

 



Posts Relacionados

Sempre que for iniciar uma rotina de treinamento, consulte um Educador Físico. Sempre que for fazer uso de suplementos alimentares, procure a recomendação de um Nutricionista.

Todo o post publicado possui autorização expressa do autor. Não é autorizada a cópia total ou parcial de nenhum conteúdo disponível no site.

8 comentários em “Treinamento Funcional: entenda o que é e para que ele serve

  1. Me tirem uma duvida, eu posso fazer o treinamento funcional e depois posso fazer musculação, pois meu objetivo é crescer, mas crescer saudável. Ou o que vocês podem me indicar?

  2. Essa é vida que pedimos a papai do céu, cuidar da vida do outro eh perfeito! Sou estudante de Educação Física e já estou pondo em prática também o treinamento funcional e recomendo….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *



INSCREVA-SE para receber dicas de treino, nutrição e suplementação

Ir para o topo

Copyright © 2017 Dicas de Treino.