12 jan

O que é a L-Carnitina, para que serve, efeitos colaterais e como tomar

O que é a L-Carnitina, para que serve, efeitos colaterais e como tomar

Neste artigo, vamos detalhar o que é a L-Carnitina, procurando esclarecer todos os principais aspectos de seu funcionamento no organismo.

Para tanto, nos concentraremos inicialmente no uso clínico e efeitos comprovados, para então, nos voltarmos ao uso em programas de treino, como suplemento alimentar.

Porque como sempre, nossa proposta é produzir artigos que possam servir de guia para orientar aqueles que realizam treinos de alta intensidade, como também para pessoas comuns, que não são exatamente ‘ratos de academia”.

Por isso, antes de tudo, vamos responder a pergunta principal, de forma bastante direta.

 

O Que é a L-Carnitina?

 

A L-Carnitina é uma substância natural, produzida pelo fígado e pelos rins, mas, também encontrada principalmente em alguns alimentos, como em carnes (carneiro e alguns tipos de peixes).

Sua principal função é a transformação de gordura em energia, embora apenas sirva como “transporte” dos ácidos graxos para dentro das mitocôndrias, onde são oxidados, gerando energia.

Em suma, por esta descrição, seus usos mais imediatamente reconhecíveis são como estimulante e também, como agente emagrecedor, o que faz desta substância primordial para perder peso.

No entanto, na prática, há certos limites para os seus efeitos, além de haver, pelo menos, uma utilização clínica não evidente.

 

O Que é a L-Carnitina em Termos Clínicos?

 

Além de ser utilizada frequentemente como suplemento alimentar em alguns quadros clínicos diversos, a L-Carnitina está mais comumente presente em tratamentos para insuficiência cardíaca, com efeitos amplamente testados.

Como agente emagrecedor, entretanto, seus efeitos estão comprovados, sendo que em vários testes clínicos, o uso da substância, apresentou aleração nos placebos, diminuindo as taxas de gordura.

Principalmente, em pacientes com sobre peso e quadros mais avançados de obesidade, ainda que não haja incidência de efeitos colaterais recorrentes, os efeitos benéficos são lentos, mas graduais.

O que não significa que não funcione como estimulante e que não possa, ou não deva ser utilizada como suplemento dentro de programas de treino, justamente, pelas características que a tornam adequada ao tratamento de cardíacos.

 

O Que é a L-Carnitina em Termos de Treino?

 

O que torna a L-Carnitina uma substância útil para pacientes com problemas cardiovasculares, é a sua atuação secundária, como estimulante do glicogênio muscular e também, no aumento do fluxo sanguíneo pelo seu efeito vasodilatador.

Consequentemente, havendo maior oxigenação do sangue e recomposição dos tecidos fibrosos, especialmente, após sessões de exercícios.

O que significa aumento da resistência muscular e diminuição dos índices de gordura, embora, como dissemos, este efeito esteja estritamente ligado ao exercício contínuo.

Além disso, os efeitos da L-Carnitina podem ser aumentados, quando aliados a uma alimentação saudável e balanceada, o que inclui os seguintes benefícios em potencial:

  • Efeito antioxidante, contra envelhecimento precoce;
  • Estímulo a função corporal da queima de gorduras;
  • Estimulante das funções cerebrais;
  • Inibidor da perda de massa óssea.

Mas, há certos cuidados a serem observados e como nunca é demais lembrar, é importante ter um acompanhamento profissional, para equilibrar o uso da substância dentro de qualquer programa de treino.

O mercado disponibiliza várias marcas de suplementos a base de carnitina, no entanto, você deve manter sua atenção quanto ao fabricante e a composição do produto.

 

Quais os Benefícios da L-Carnitina?

 

Além da melhor performance para os músculos, os efeitos da L-Carnitina podem ser aumentados, quando aliados a uma alimentação saudável e balanceada.

Neste caso, oferecendo muitos outros benefícios, como:

Whey Protein GrowthWhey Protein Growth
  • Efeito antioxidante, contra envelhecimento precoce;
  • Estímulo a função corporal da queima de gorduras;
  • Estimulante das funções cerebrais;
  • Inibidor da perda de massa óssea;
  • Para consumidores ativos é auxiliar relevante para emagrecer;
  • Auxilia para o bom funcionamento do coração, inclusive reduzindo as chances de acidente vascular cerebral;
  • Ajuda na performance de cardíacos que praticam atividades físicas;
  • Ajuda na recuperação muscular após treinos.

Mas, há certos cuidados a serem observados e como nunca é demais lembrar, é importante ter um acompanhamento profissional, para equilibrar o uso da substância dentro de qualquer programa de treino.

O mercado disponibiliza várias marcas de suplementos a base de carnitina, no entanto, você deve manter sua atenção quanto ao fabricante e a composição do produto.

 

Quais os Efeitos Colaterais da L-Carnitina?

 

Uma das principais características da L-Carnitina é que não há grande incidência de efeitos colaterais relacionados ao seu uso, de forma genérica, e isso é vantajoso para pessoas sensíveis.

Em outras palavras, quando apresenta efeitos colaterais, estes são, em geral, individualizados, embora os mais comuns sejam alterações diversas no trânsito digestivo.

Além disso, o uso é contraindicado em pessoas que sofrem de hipertensão ou que enfrentem quadros similares a anemia (fraqueza) ou ainda, que estejam sujeitas a convulsões.

Mulheres grávidas ou que amamentam também não devem consumir o suplemento.

Em alguns casos raros, a L-Carnitina pode ter efeitos muito diferentes do esperado, transformando gordura em triglicerídios, o que justifica consumir dosagem rigorosamente estudadas.

Como dissemos, estes efeitos não são comuns, mas, não custa estar atento aos sintomas em caso de uso continuado.

Fora isso, os demais cuidados estão relacionados a quantidade e horários de ingestão, conforme veremos a seguir.

 

Como Se Deve Tomar a L-Carnitina?

 

Apesar de ser recomendável o acompanhamento de um profissional, para ajusto individual de dosagem, dentro de um programa alimentar saudável, pode-se iniciar o uso com 500 mg diários, aumentando-o gradualmente após um período de adaptação.

Isso porque, como também já dissemos, além da produção natural do organismo, você provavelmente consumirá a substância de outras fontes naturais e há um limite diário de 3 gramas para ingestão.

É importante observar que o horário ideal para tomar o suplemento é pela manhã, antes da primeira refeição do dia.

O consumo à noite, principalmente antes de dormir, não é recomendado por se tratar de um estimulante, o que pode causar insônia com o uso continuado.

 

Conclusão: O Que Esperar da L-Carnitina?

 

Para o leitor atento, já deve estar bastante claro o que é a L-Carnitina, mas, não custa enfatizar que não se trata de uma substância milagrosa.

É um suplemento com baixa probabilidade de causar efeitos colaterais na maioria dos casos, ao mesmo tempo em que não tem eficácia em repouso.

Ou seja, funciona bem apenas como suplemento dentro de programas de treino equilibrados, de preferência, acompanhados de uma dieta alimentar saudável.

Como benefício extra, pode ter efeitos positivos contra o envelhecimento precoce, mas, não deve ser utilizado como agente emagrecedor, pois não é esta sua função, como já explicado.

Leia também:

O que é BCAA, para que serve, como e porque tomar?

O que é CREATINA, para que serve, como e porque tomar?

O que é WHEY PROTEIN, para que serve, como e porque tomar?

Assim, o que se pode esperar da L-Carnitina é que funcione como um apoio aos programas de treino para aumento da resistência e do tônus muscular, em uma estratégia de médio e longo prazo, sem grandes riscos associados.

 

Lembre-se também de compartilhar este artigo e postar seu comentário abaixo, afinal o site é feito para promover a interação entre os leitores!

 




DICAS RELACIONADAS


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Ir para o topo

Copyright© 2018 Dicas de Treino.