Melhores formas e como consumir Óleo de Coco na Dieta

Melhores formas e como consumir óleo de coco na Dieta
Whey Protein Growth
Whey Protein Growth
Whey Protein Growth
Whey Protein Growth

Como consumir o óleo de coco tem se popularizado por conta de sua utilização em dietas saudáveis, além dos inúmeros benefícios proporcionados ao organismo.

Este é um dos óleos vegetais que possui maior versatilidade, e pode ser considerado como uma fonte de gordura saudável.

Com relação ao teor de gordura, ele apresenta ácidos graxos da cadeia média de fácil digestão, que contribui para a geração de energia quase que imediata às nossas células.

Os ácidos graxos também favorecem as funções cognitivas, cerebrais e ainda ajudam a manter a saúde do coração em dia.


O óleo de coco é rico em diversos nutrientes, aos que desejam utilizá-lo para perder peso, é preciso ficar atento.

Pois seu consumo em excesso pode trazer resultados contrários, fazendo com que ao invés de emagrecer, você acabe ganhando alguns quilos.

Engana-se quem pensa que o óleo de coco traz benefícios apenas no preparo dos alimentos para auxiliar no emagrecimento.

Ele também pode ser usado para deixar a pele e os cabelos mais bonitos e hidratados.

Se você quer saber quais as melhores formas e como consumir óleo de coco, continue a leitura no artigo.

 

Como consumir o Óleo de Coco

 

O óleo extraído do coco recebe o nome de ‘óleo de coco’, se classifica ainda em dois tipos:

# Refinado;

# Extravirgem.

A diferença é que o refinado é feito a partir do coco seco, já o extravirgem é extraído do coco fresco.

No segundo caso, é necessário que o processo seja realizado até 48 horas após a colheita do coco, de preferência um fruto proveniente de uma plantação orgânica e certificada.

É comum encontrar o óleo de coco em estado líquido, quando em temperatura ambiente.


Ao ser resfriado e submetido a baixas temperaturas, fica com uma aparência branca e sólida.

Ainda há muitas controvérsias na comunidade médica, envolvendo os reais benefícios proporcionados pelo alimento.

Isso se deve ao fato de o óleo de coco ser rico em um tipo distinto de gorduras saturadas, que é o triglicérides de cadeia média.

Embora apresente alta quantidade de gorduras saturadas, o argumento daqueles que são a favor do óleo de coco, é que essas gorduras são triglicerídeos de cadeia média (TCM).

Leia também:

Receita de Chá para Aumentar Imunidade

Receita Anabólica: Café da Manhã com Panqueca Proteica Doce

Entre a Margarina ou Manteiga qual a melhor opção de consumo?

Receita simples, fácil e barata para fazer ‘Omelete Hiper Protéico’

Receita Anabólica: Coxinha Fit assada com massa de Batata Doce ou Mandioca

5 dicas para reduzir o acumulo de Gorduras nas Costas e nos Braços das Mulheres

O que é o Ômega 3, para que serve, função, carência, excesso, alimentos e suplementos

Essa característica faz com que eles sejam melhor absorvidas pelo corpo, especialmente no fígado, convertendo-se em energia ao invés de se transformar em gordura corporal acumulada.

Por esse motivo é que como consumir o óleo de coco é um item bastante pesquisado já que o alimento tem sido muito grande adepto em dietas de emagrecimento.

Caso você consulte um nutricionista ou nutrólogo, por exemplo, as opiniões podem divergir.

Nesse caso, vale a pena testar você mesmo em seu dia a dia e chegar a uma conclusão com sua própria experiência.

Creatina Growth
Creatina Growth
Creatina Growth
creatina Growth

 

Quais as propriedades do Óleo de Coco

 

Assim como qualquer outro óleo, o óleo de coco também é composto por gorduras.

À primeira vista, isso pode soar prejudicial, mas esse componente, como dito anteriormente, é formado (em sua maioria) por triglicerídeos de cadeia média.

De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, entre as propriedades nutricionais contidas em 15g de óleo de coco estão:

# Ferro: 0,01 mg;

# Vitamina E: 0,01 mg;

# Vitamina K: 0,1 mg;

# Gorduras saturadas: 12,97 g;

# Gorduras monoinsaturadas: 0,87 g;

# Gorduras poli-saturadas: 0,27 g;

# Ácidos graxos, em sua maioria: ácido caprílico, ácido cáprico e ácido láurico.

Nota-se diante desses dados que antes de saber como consumir o óleo de coco é válido saber que ele é composto essencialmente por gorduras.

Predominam as gorduras saturadas, que representam 87% da quantidade total do macronutriente.

Justamente por isso é que existem tais controvérsias a respeito da eficácia do óleo de coco.

Já que quando consumido em excesso tende a aumentar a quantidade de colesterol LDL que é prejudicial à saúde.

Vale ressaltar que a quantidade diária indicada de gorduras saturadas é em torno de 22 gramas, para as pessoas que tem uma dieta baseada em 2 mil calorias/dia.

A porção recomendada para o consumo de óleo de coco é de 15g, que corresponde a uma colher de sopa.

 

Quais os benefícios do Óleo de Coco  

 

Como consumir o óleo de coco, envolve saber também sobre seus benefícios.

Muitas pesquisas e estudos continuam sendo realizados a fim de atestar a eficácia do óleo de coco.

Inclusive algumas dessas, já apontaram alguns benefícios proporcionados pelo uso do macronutriente.

Veja alguns deles:

 

#1 – Contribui para o Emagrecimento

 

Uma pesquisa feita pela UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro,  indicou que o óleo de coco funciona como um auxiliador no funcionamento do metabolismo.

Pois o ácido láurico, faz com que as células funcionem de maneira mais acelerada.


Dessa forma, consumindo mais calorias, evitando o acúmulo de gordura localizada e por consequência, gerando um emagrecimento mais eficaz.

Concluíram ainda que o óleo também auxilia no aumento do volume de massa magra, formando músculos.

Visto que esse processo demanda mais gasto de energia do organismo.

Um outro estudo realizado em 2.000 no Canadá, apontou que os indivíduos que consumiam óleo de coco apresentavam maior oxidação das gorduras, do que aqueles que não o utilizavam.

Lembrando que a oxidação é um processo que gera a quebra das gorduras.

Ao ser quebrada no tecido adiposo, a gordura transforma-se numa fonte de energia.

O que faz com que não fique acumulada no corpo, formando os famosos ‘pneuzinhos’.

 

#2 – Fornece Saciedade

 

Estudos mostraram uma relação entre os TCM e a ativação de hormônios como peptídeo YY, colecistoquina e peptídeo inibitório intestinal, que estão relacionados a sensação de saciedade.

De fato o óleo de coco poderá auxiliar nessa saciedade, porém é necessário mudar o consumo de gorduras.

Sendo necessário consumir menos carnes vermelhas e frituras, e priorizar uma alimentação com mais grãos, peixes, oleaginosas e linhaça, por exemplo.


 

#3 – Controla o colesterol

 

Existem estudos que atestaram a eficiência do óleo de coco para o aumento do colesterol bom, o HDL.

A Sociedade Brasileira de Cardiologia atesta em sua I Diretriz Brasileira de Hipercolesterolemia Familiar, que um dos ácidos contidos no macronutriente:

… É capaz de aumentar esse tipo de colesterol diante dos demais tipos de gorduras saturadas, no entanto também contribui para elevar o LDL, que é considerado o colesterol ruim.

Por esse motivo é que a Sociedade Brasileira de Cardiologia não recomenda o uso de óleo de coco para indivíduos que apresentam colesterol alto.

 

#4 – Fortalece o sistema Imunológico

 

O ácido cáprico e o ácido láurico, presentes no óleo de coco, modulam o sistema imunológico.

Existem estudos que mostram sua eficácia contra bactérias, vírus e fungos.

Age principalmente no intestino, contribuindo para a eliminação de bactérias.

 

#5 – Evita a prisão de Ventre

 

Normalmente, os alimentos gordurosos ajudam na digestão, pelo fato de a gordura interagir com o bolo alimentar e as fezes, contribuindo na sua passagem pelo sistema digestivo.

O ácido láurico, juntamente com suas propriedades antibacterianas, ajuda a eliminar as bactérias maléficas do intestino.

Com isso, sua flora intestinal é beneficiada, melhorando o funcionamento do mesmo o que é importante para quem deseja saber como consumir o óleo de coco.

No entanto, é preciso ter cautela, pois seu consumo excessivo pode causar diarreia.

 

#6 – Melhora a beleza

 

Os antioxidantes presentes no óleo de coco ajudam a combater os radicais livres que estão relacionados ao envelhecimento precoce.

Seu consumo ajuda a melhorar a elasticidade da pele, deixando-a com aspecto mais hidratado e saudável.

O óleo de coco também pode ser usado para aplicar diretamente nos cabelos, unha e pele, pois tem função hidratante, fornecendo brilho, maciez e renovo.

 

Como consumir Óleo de Coco

 

Existem diversas formas de se aprender como consumir óleo de coco.

Para conservar suas propriedades antioxidantes, o ideal é utilizá-lo em sua forma natural, sem aquecê-lo.

Sua versão extravirgem é ideal para pratos frios, como em uma salada.

Caso deseje consumir em preparações quentes, inclua apenas no momento de finalização do prato, sem levá-lo ao fogo.

Ele promove um sabor e aromas muito suaves nos alimentos, pode ser incluído em pratos como peixes e arroz.

Uma outra opção é acrescentá-lo em bolos e tortas, substituindo a manteiga, margarina ou o próprio óleo de soja muito utilizados para esse fim.

Em bebidas, o óleo de coco também tem espaço garantido, proporciona um sabor suave de coco em:

# Iogurtes;

# Vitaminas;

# Café;

# Sucos;

# Sorvetes.

Não é recomendado usar óleo de coco  em frituras, pois conforme dito, ele acaba perdendo suas propriedades benéficas.

Sua versatilidade se estende além da alimentação, pois como pode ser usado em muitas receitas caseiras para hidratar os cabelos, fortalecer as unhas e até como máscara facial.

 

Contraindicações do Óleo de Coco

 

Como consumir o óleo de coco envolve também saber se existe alguma recomendação sobre seu uso.

Pois, de acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia, o óleo de coco não deve ser utilizado nas refeições por alguns grupos de pessoas como:

# Indivíduos que apresentam colesterol alto;

# Pessoas com síndrome no metabolismo;

# Pacientes que tomam anticoagulantes.

Diante do que expomos neste artigo, lembramos que você teve a oportunidade de conhecer um pouco mais sobre  como consumir o óleo de coco.

Assim como outros aspectos deste alimento antigo e funcional, especialmente os principais benefícios.

Entretanto, é importante mencionar que não se esqueça:

Antes de aderir ao óleo de coco, vale à pena consultar a opinião de seu médico ou nutricionista.

 

Esperamos que tenha gostado de saber mais sobre esse óleo vegetal que ainda tem muito a ser estudado.

Compartilhe esse artigo em suas redes sociais para ajudar outras pessoas a conhecerem essa fonte de gordura boa.

Caso tenha restado alguma dúvida ou queira acrescentar alguma outra pontuação sobre como usar o óleo de coco, fique à vontade!

 

Referências

AZEVEDO, Elaine de. Alimentos Orgânicos: Ampliando Os Conceitos de Saúde Humana, Ambiental e Social. São Paulo: Senac São Paulo, 2012.

EYRES, Laurence et al. Coconut oil consumption and cardiovascular risk factors in humans.Nutrition Reviews, v. 74, n. 4, p. 267-80, Apr. 2016.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Política Nacional de Alimentação e Nutrição. Brasília: Ministério da Saúde, 2013.

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui